Vendas de veículos de Outubro – Bem vindos ao efeito de Osborn – Total vendas de veículos electrificados: 22.8%

Em 1983 Adam Osborn anunciou o novo modelo computador, a um preço mais baixo que o do modelo actual, e com um desempenho maior. Com base nesse anúncio, os potenciais compradores adiaram as compras que tinham previstas para o modelo actual, até que o novo estivesse disponível. Essa quebra de vendas fez com que a empresa abrisse falência antes de conseguir lançar o novo modelo comercialmente.

Desde então, à retração das vendas de um modelo cujo mercado entende como obsoleto a curto prazo, deu-se o nome de Efeito de Osborn. Em alguns casos, é também conhecido por curva S, mas nesses casos, não existe uma retração do mercado total.

É o que parece estar a acontecer no mercado automóvel: em plena recuperação económica, as vendas totais de automóveis estão em queda, enquanto que os modelos electrificados batem novos recordes consecutivos.

Valores absolutos de vendas por tipo de motorização.
Fonte: ACAP

Em Outubro, as vendas de veículos estão a valores vistos durante a pandemia. Mas esta redução apenas está a afectar os veículos puramente a combustão interna. Curiosamente, em Outubro, as posições relativas dos veículos com movidos a motores de combustão inverteram-se face, onde as motorizações a diesel lideram as vendas, com o valor mais alto desde Junho. Já as motorizações híbridas tiverem segundo mês com as maiores vendas do ano.

Do lado das motorizações electrificadas a realidade é oposta.

As 1612 unidades de veículos movidos exclusivamente a bateria correspondem ao valor mais elevado de sempre, num mês onde as vendas globais estão bem abaixo do normal. É este o sinal típico do efeito de Osborn: as vendas globais descem, enquanto que as vendas dos modelos de nova geração sobem. Mesmo do lado dos veículos Plug-in, foi o terceiro melhor mês do ano.

Advertisements
Quota de mercado por tipo de motorização. Fonte: ACAP

Já olhando para os indicadores de quota de mercado, os efeitos são agora evidentes, e novos máximos e mínimos foram atingidos.

Os 28% de quota de mercado dos veículos a gasolina corresponde ao segundo menor valor desde que há registos, sendo que apenas no famigerado mês de Abril de 2019, em pleno confinamento se atingiram valores mais baixos. Do lado das motorizações a gasóleo, verificou-se uma ligeira recuperação, correspondendo agora a 34% do mercado, o que ainda assim é um valor significativamente abaixo do normal do mercado português. É aqui que se encontra o novo mínimo. Os 68% de vendas dos veículos a combustão interna, correspondem ao valor mais baixo de sempre.

Se se podia assumir que a quebra de vendas dos veículos de combustão interna pudesse ser compensada pelas vendas dos veículos híbridos, os números não suportam essa hipótese. As vendas dos veículos híbridos ficou-se pelos 9.8%, o que sendo o terceiro valor mais alto do ano, mostra uma estabilização das vendas, estando abaixo do valor atingido em Janeiro, num nível de vendas que tem ficado estável ao longo do ano.

Do lado dos veículos electrificados, seguem-se os recordes. Os 12.5% de vendas dos veículos exclusivamente eléctricos correspondem ao valor mais elevado de sempre. E tal aconteceu, num mês onde a Tesla não contribuiu de forma significativa para as vendas. Um em cada 8 carros vendidos em Portugal, era exclusivamente alimentado por uma bateria. A somar a estes, os veículos plug-in corresponderam a 9.4% da vendas, o que não sendo um novo record, é um valor que mantém a tendência de crescimento, embora não tão acentuada como as dos exclusivamente eléctricos.

O resultado final, é que 22.8% dos veículos vendas em Outubro pertencem à fileira dos veículos electrificados, ou 1 em cada 4. Este é mais uma vez, o valor mais elevado desde que há registos.

Electrificação do mercado

Com os sucessivos máximos de vendas dos veículos electrificados, verifica-se uma electrificação muito progressiva do mercado. Começando com os 11.7% verificados na globalidade de 2020, estamos em Outubro com 22.8%, onde os veículos a combustão interna representam agora 74% do mercado. Este efeito tem-se verifica com maior intensidade desde Junho.

Advertisements

Vendas de veículos eléctricos por marca

Vendas de veículos eléctricos por marca em Setembro. Fonte:ACAP

O mês de Outubro correspondeu a um mês sem entregas significativas por parte da Tesla, o que demonstra a solidez dos números de vendas. Assim sendo, as vendas foram lideradas pela Peugeot, com 291 unidades. Em segundo lugar encontrou-se a Hyundai, num mês onde começaram as entregas do novo modelo Ionic 5, fazendo as vendas ultrapassarem as 200 unidades. No último lugar do pódio voltou a Renault, also que já não acontecia desde Junho, com um total de 151 unidades.

Nos restantes lugares do topo de vendas encontramos agora uma novidade. O 4º lugar foi ocupado pela Mazda, com o modelo MX30, com quase 100 unidades.

Vendas de veículos eléctricos por marca em 2021. Fonte:ACAP

Na globalidade do ano, e fruto da consistência dos resultados, encontramos a Peugeot no topo das vendas do ano, com 170 unidades de vantagem sobre a Tesla, em segundo lugar. Seguidamente, encontramos a Nissan, Renault e a Hyundai, todas elas acima das 750 unidades. Estas 5 marcas correspondem a metade do mercado total, sendo que a outra metade é disputada pelas restantes 21 marcas já com vendas de veículos desde tipo.

A diferença para as restantes marcas é maior a partir da 6ª posição, ocupada pela Volkswagen, com 581 unidades, menos 196 unidades que a Hyundai. A partir daqui, as diferenças entre os vários fabricantes torna-se bastante pequena.