Loures é o município onde será mais provável cruzar-se na rua com um infectado com Covid, mesmo que essa pessoa não saiba.

Spread the love
  • 148
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 13
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Infecções nos últimos 7 dias por 100 000 habitantes nos municípios com mais de 100 infecções.
Fonte: DGS
Clique para ampliar.

Passou mais uma semana em que o foco da pandemia se mantém na região de Lisboa e Vale do Tejo. De facto, olhando para os números apresentados pela DGS, existem 4 municípios onde a situação da pandemia aparenta ser preocupante, nomeadamente Amadora, Sintra, Loures e Odivelas. Em todos estes municípios a taxa de novas infecções excede os 75 habitantes por 100 000, sendo que na Amadora chega aos 111.

Para tornar a situação mais complexa, trata-se de municípios onde a maioria da população residente não trabalha no mesmo município, mas na cidade de Lisboa, ou em outros municípios menos populosos como é o conhecido caso da Azambuja. Este facto apenas tornaria inútil qualquer tentativa de isolar a propagação da infecção nesses municípios uma vez que a propagação não ocorre nos mesmo.

De facto, a cidade de Lisboa, onde seria um dos locais onde a propagação realmente ocorre,  apenas aparece em 10º lugar

Outro ponto a ter em conta, é que muitos destes municípios já apresentavam quantidades significativas de infectados, pelo que um dos dados a ter em conta é o número daquele que tendo tido a infecção, já não a têm.

Na realidade, e ao contrário do que é transmitido na comunicação social, o indicador importante é a relação entre os casos activos, correspondentes às pessoas que ainda se mantêm infectados, e os novos casos, já que os falecidos e curados não têm a capacidade de transmitir a doença.

Advertisements
Infecções activas por 100 000 habitantes, assumindo que em média todos os casos tiveram alta ao fim de 28 dias.
Fonte dos dados: DGS.
Clique para ampliar.

De facto, a única forma de responde à pergunta “Qual é o município onde é mais provável cruzar-se com uma pessoa infectada na rua?”, é calculando o número de pessoas actualmente infectadas, dividindo pela população do concelho. Isto assume dois pressupostos; os infectados não se mantêm em casa, e o tempo de duração da doença é de 28 dias, segundo os cálculos do Imperial College of London 1. Sabemos que o primeiro não é totalmente verdade, mas também não é totalmente falso, quer porque há pessoas que não respeitam o confinamento obrigatório, quer porque são assimptomáticos.

Desta feita, os municípios com maior probalidade de se cruzar com outra pessoa infectada na rua são Loures e Amadora, com mais de 3 infectados por 100 000 habitantes, e depois Moita, Odivelas e Sintra.

Não que estes números sejam reveladores do risco real, uma vez que aparecem num contexto de testes maciços a populações, ou ainda porque muitos destes são assimptomáticos, ou finalmente porque a probalidade dos assimptomáticos infectarem terceiros é baixa 2, mas mostram uma aproximação da realidade maior que no resto do país.

Efectivamente, e sabendo que os simptomáticos conseguem contagiar uma grande quantidade de pessoas, existem ainda uma quantidade significativa destes espalhados pelo país, mas cuja propagação está a ser limitada pelas medidas de saúde pública, e distanciamento (e pela inexistência de transportes públicos de grandes massas)

Torna-se assim claro que embora a pandemia se esteja a propagar bem mais que o desejável, a diferença qualitativa da propagação actual na região de Lisboa e Vale do Tejo, faz com que não seja comparável à que ocorreu no início da pandemia em Portugal.

  1. Katy Gaythorpe, Natsuko Imai, Gina Cuomo-Dannenburg, Marc Baguelin, Sangeeta Bhatia, Adhiratha Boonyasiri, Anne Cori, Zulma Cucunubá, Amy Dighe, Ilaria Dorigatti, Rich FitzJohn, Han Fu, Will Green, Arran Hamlet, Wes Hinsley, Daniel Laydon, Gemma Nedjati-Gilani, Lucy Okell, Steven Riley, Hayley Thompson, Sabine van Elsland, Erik Volz, Haowei Wang, Yuanrong Wang, Charles Whittaker, Xiaoyue Xi, Christl A. Donnelly, Azra Ghani, Neil M. Ferguson. With support from other volunteers from the MRC Centre; Imperial College London COVID-19 Response Team; DOI: https://doi.org/10.25561/77344[]
  2. XU, Hanyi, YANG, Lihui, GAO, Ming, YANG, Shifang, GAO, Xinglin, , DENG, Yiyu, CHEN, Zixing,A Study on Infectivity of Asymptomatic SARS-CoV-2 Carriers ,Respir Med.,2020,106026. doi.org/10.1016/j.rmed.2020.106026[]
  •  
    161
    Shares
  • 148
  •  
  •  
  •  
  • 13
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

One Comment

  1. Pingback: Mais uma semana de pico em Lisboa. Amadora é agora o local com maior risco de se cruzar na rua com um infectado. - Despoletar

Leave a Reply