Vendas de veículos de Dezembro – As contas do ano de 2021

  • 6
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 2
  •  
  •  
  •  

6    2   E com o final do ano de 2021, temos a apresentar as contas no ano. Para começar, vamos a totais. Se em 2020 foram vendidos 170.843 veículos ligeiros, em 2021 o volume de vendas aumentou em 2.4% para as 174.951 unidades. Em ambos os casos, este valor corresponde ainda a um valor muito abaixo dos 267.000 em vendidos em 2019. Mas vamos ao detalhe do ano de 2021. Matematicamente, um ano divide-se em dois semestres, e tal divisão também se aplicou às vendas de automóveis. Na primeira metade do ano, especificamente até Junho, a vendas de veículos a gasolina cresceram todos os meses, até atingir as 9300 unidades num único mês. Mesmo do lado das motorizações a diesel, a primeira metade do ano não foi péssima, tendo atingido uma média em torno das 5000 unidades mensais. Até os veículos híbridos partilharam da mesma sorte, tendo inclusivamente atingido o pico das vendas, também em Junho, de 2300 unidades. A segunda metade do ano não poderia ser mais diferente. No melhor mês da segunda metade do ano, os veículos a gasolina ficaram-se pelas 6000 unidades, tendo atingido valores da ordem das 3300 unidades. De facto, durante a segunda metade do ano, as …

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Advertisements

Vendas de veículos de Novembro – Total vendas de veículos electrificados: 25.79%

  • 8
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 3
  •  
  •  
  •  

8    3   Durante o mês de Novembro foram vendidos 13565 veículos ligeiros, correspondendo a um valor baixo, quer quando comparado com os últimos 12 meses, quer usando a última década como referência. De resto, a história das vendas de Novembro resume-se a “mais das mesmas novidades dos últimos meses”. Vamos então ao resto dos números. No topo das vendas de Novembro aparecem não surpreendentemente as motorizações a gasóleo e gasolina, respectivamente com 4528 e 3660 unidades, com as motorizações a gasóleo a recuperarem o topo das vendas. Estes valores correspondem, no entanto, a vendas historicamente baixas de ambas as motorizações. No caso das motorização a gasóleo, e apesar da grande baixa de vendas, trata-se do 7º valor mais baixo dos últimos 23 meses. No caso das motorizações a gasolina, trata-se do 5º valor mais baixo no mesmo período. As novidades do mês começam nas vendas dos veículos totalmente eléctricos, tendo atingido as 2046 unidades. Este é o valor mais alto de sempre, e na verdade, trata-se do 3º mês consecutivo de recordes de vendas absolutas destas motorizações. Nas restantes motorizações as vendas mantiveram-se relativamente estáveis, o que em si corresponde a uma diminuição da importância das motorizações a combustão interna, uma vez …

Advertisements

Vendas de veículos de Outubro – Bem vindos ao efeito de Osborn – Total vendas de veículos electrificados: 22.8%

  • 6
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 2
  •  
  •  
  •  

6    2   Em 1983 Adam Osborn anunciou o novo modelo computador, a um preço mais baixo que o do modelo actual, e com um desempenho maior. Com base nesse anúncio, os potenciais compradores adiaram as compras que tinham previstas para o modelo actual, até que o novo estivesse disponível. Essa quebra de vendas fez com que a empresa abrisse falência antes de conseguir lançar o novo modelo comercialmente. Desde então, à retração das vendas de um modelo cujo mercado entende como obsoleto a curto prazo, deu-se o nome de Efeito de Osborn. Em alguns casos, é também conhecido por curva S, mas nesses casos, não existe uma retração do mercado total. É o que parece estar a acontecer no mercado automóvel: em plena recuperação económica, as vendas totais de automóveis estão em queda, enquanto que os modelos electrificados batem novos recordes consecutivos. Em Outubro, as vendas de veículos estão a valores vistos durante a pandemia. Mas esta redução apenas está a afectar os veículos puramente a combustão interna. Curiosamente, em Outubro, as posições relativas dos veículos com movidos a motores de combustão inverteram-se face, onde as motorizações a diesel lideram as vendas, com o valor mais alto desde Junho. Já as motorizações …

Electrificação do mercado automóvel segue a toda a velocidade em Setembro: 22%. Novos máximos para todo os gostos.

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 27
  •  
  •  
  •  

1    27   Num mês de Setembro que não foi particularmente movimento, mas onde ainda assim, as vendas foram mais de 30% maiores que as registadas em Agosto, para as 12588 unidades, algumas marcas automóveis estão agora em pleno processo de electrificação. Já não se trata apenas de PHEVs, mas para um mundo totalmente electrificado. Só para exemplificar, as motorizações exclusivamente eléctricas já são as dominantes em marcas como Audi, Mazda, Skoda, já sem contar com a marcas que já só vendem exclusivamente veículos eléctricos como a Tesla e a Smart. Comecemos pelos novos valores máximos do mês. Foram entregues 1517 veículos totalmente eléctricos no mês de Setembro, o que corresponde não só ao maior valor desde que existem registos, como também à maior quota de mercado: 12%. Efectivamente, 1 em cada 8 carros vendidos em Portugal era exclusivamente eléctrico. E não, não se tratou de um acidente devido às entregas da Testa. Mesmo sem as entregas da Tesla, teria sido o mês com maiores vendas de sempre desta motorização. Em sentido oposto encontramos a maioria das restantes motorizações, com a excepção da motorização a gasolina. Esta atingiu em Setembro os 35%, o que corresponde a um dos valores mais baixos do ano …

Mercado Automóvel em Agosto – Em cada 5 carros vendidos, um foi eléctrico. E essa não foi a única novidade.

  • 8
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 2
  •  
  •  
  •  

8    2   O mês de Agosto de 2021 foi bastante atípico. De qualquer forma, o mercado automóvel tem andado imprevisível, tantas são as alterações que a industria está a sofrer, e ainda com a COVID-19. Comecemos pelos números. Os 9788 veículos vendidos em Agosto representaram o número mais baixo desde Maio de 2020. Agosto é tipicamente um mês bastante lento em termos de vendas. Mas este ano, um conjunto muito alargado de factores encontraram-se para tornar o mês ainda mais lento que o habitual: a falta de componentes, em particular os chips; os meses consecutivos de vendas elevadas, e um mês de agosto livre de COVID-19 e com a vacinação já praticamente completa, fez com que os Portugueses tivessem rumado para as praias. Isto nas gamas mais baixas. Como tem sido habitual, quando as vendas descem, não descem de igual forma em todas a motorizações. Agosto viu a quota de mercado dos veículos a gasolina cair a pique, dos 41% de Julho, para os 31% em Agosto. Este valor não é inédito, e já em Janeiro tinha sido atingido um valor similar. Mas representa uma quebra numa tendência que se verificava em todos os meses de Janeiro até Agosto. Em termos absolutos, …

Advertisements

Mercado automóvel de Julho – Motorizações a combustível atingem o valor mais baixo de sempre

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

         O mês de Julho de 2021 não foi particularmente movimentado no que diz respeito a vendas de veículos automóveis, tendo sido o pior mês desde Fevereiro deste ano. No entanto, como vem sendo habitual nos últimos 2 anos, a redução de vendas não se verifica de forma igual em todas as motorizações, mas numa em particular. As vendas dos veículos a gasóleo tiveram uma muito ligeira subida de quota de mercado. Mesmo essa ligeira subida demonstra como a continua tendência de queda está para ficar. A reforçar esta ideia, está o facto de que dessas parcas vendas, mais de 40% desses veículos foram comerciais. De facto, em Julho, apenas se venderam poucos mais de 2300 veículos ligeiros de passageiros a gasóleo. Na mesma escala, mas em sentido oposto encontramos as motorizações a gasolina, que sofreu também uma muito ligeira descida. No entanto, o ponto relevante é o comportamento da totalidade das motorizações a combustão interna. Somando as quotas de mercado dos motores a gasolina e gasóleo, atinge-se o valor de 70.8%, o segundo pior resultado desde que há registos. Podia-se até assumir que esta redução dos veículos movidos apenas a combustíveis fósseis correspondesse apenas a uma ligeira mudança, para os …

Advertisements

Junho trouxe novos máximos históricos para todos os gostos: híbridos, eléctricos e plugins.

  • 15
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 3
  •  
  •  
  •  

15    3   O mês de Junho trouxe mais algumas novidades no que diz respeito ao mercado automóvel (e novas restrições devidas à COVID-19). Para começar, a primeira novidade é que o mercado está agora a voltar a níveis mais próximos daqueles vistos antes da pandemia, tendo atingido as 21732 unidades. É a primeira vez que as vendas automóveis excedem aquelas atingidas no mês de Fevereiro de 2020. É no entanto que sublinhar que este crescimento acontece de forma muito repartida entre as várias motorizações, pois vejamos: As motorizações a gasolina apresentam agora o 5º mês consecutivo de crescimento, com 9398 unidades. Este valor é ainda assim inferior ao de Fevereiro de 2020, quando as vendas excederam as 11000 unidades. As motorizações a gasóleo ficaram-se pelas 6289 unidades, o que corresponde sensivelmente à média dos meses após o confinamento. É ainda de destacar que praticamente metade destas unidades corresponderam a veículos ligeiros de mercadorias. Isto significa que os ligeiros de passageiros movidos a gasóleo são agora uma espécie em vias de extinção. As motorizações híbridas atingiram as 2375 unidades, o que representa o mais alto valor de sempre. Os veículos puramente eléctricos atingiram as 1346 unidades, o valor mensal mais elevado de sempre. …

Não se vendiam tantos carros desde Janeiro de 2020, nem tão poucos diesels.

  • 23
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  

23    1   Nem sempre a direcção que um mercado toma é imediatamente óbvia, e nem em todos os meses são atingidos novos valores máximos ou mínimos. No mês de Maio, no entanto, foram atingidos ambos. Vamos começar pela visão global do mercado. Em Maio foram vendidas mais de 19 mil viaturas, um valor que não era excedido desde Fevereiro de 2020. Finalmente o mercado parece estar a voltar à vida, correspondendo aos 4 mês consultivos de melhorias nas vendas. Se compararmos as vendas de Maio, com as de Fevereiro, regista-se um aumento de quase 50%. Este aumento de vendas foi liderado pelos veículos movidos a gasolina, o que sugere que esta recuperação não é ainda sustentada, já que esta motorização está associada aos modelos de mais baixo custo. No entanto, o mês de Maio não foi simpático para todas as motorizações. Se o veículos movidos a gasolina mostraram um aumento de vendas, os veículos movidos a gasóleo registaram uma diminuição, tendo correspondido a apenas 32.6% das vendas. Este é então o terceiro mês consecutivo onde a motorização a gasóleo registou recordes negativos de vendas, pelo menos desde a década de 90. Se compararmos com as vendas de 2020, que atingiram os 43%, …

Ao ritmo actual, 70% dos adultos terão recebido a primeira dose da vacina a 5 de Outubro. Há 10 dias, essa marca era atingida a 31 de Outubro

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 30
  •  
  •  
  •  

     30   A vacinação decorre a um ritmo extremamente acelerado. Os números dos últimos 7 dias são extremamente encorajantes, e vou só deixar alguns: Foram dadas 560 000 doses nos últimos 7 dias Em dois dias destes sete, foram excedidas as 100 000 doses inoculadas em apenas 24 horas. Se olharmos para as médias diárias, torna-se mais fácil de ler os dados. No passado dia 10 de Maio, foram injectadas cerca de 52 000 1ªs doses. Este valor é ainda insuficiente para atingir a meta de ter 70% dos adultos vacinados até 31 de Julho. Para que tal seja possível, teriam que ter sido dadas 67 500 1ªs doses. No entanto, a média de vacinações diárias tem aumentado a cada dia de que passa. De tal forma, que no passado dia 1 de Abril, a data expectável para atingir o objectivo era a 30 de Dezembro. A 30 de Abril, essa marca seria atingida a 21 de Novembro. E com os valores atingidos este semana, se o ritmo de vacinação não aumentar ainda mais, o objectivo será atingido a 5 de Outubro. Ora, actualmente ainda não se atingiu a capacidade máxima de vacinação. Considerando que na última semana foram excedidas as 100 …

Advertisements

Vendas de veículos eléctricos de Abril – A recuperação do mercado, sem a ajuda da Tesla

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  

2    1   Finalmente o mercado automóvel começa a dar sinais de recuperação, à medida que a pandemia dá também sinais de estar sob controlo. Desta feita, praticamente todas as motorizações viram as suas vendas avançarem durante o mês de Abril. No total foram vendidas 17682 unidades, o que corresponde ao segundo melhor mês desde o início da pandemia. Observando a evolução mensal desde o início do ano, é fácil verificar como todas a motorizações excepto a Plug-in a gasóleo não registou um aumento das vendas. Por outro lado, as motorizações a gasolina e gasóleo mostram subidas de 15% e 12% respectivamente. Já as motorizações exclusivamente eléctricas sofreram uma subida de 33% e finalmente, as vendas de PHEVs sofreram uma ligeira descida. Começa a agora a ser identificável uma tendência de crescimento constante e estável das motorizações exclusivamente eléctricas, onde regista o 4º mês consecutivo de subida de vendas, algo que não é visível em mais nenhuma motorização. Com o aumento global das vendas, os cálculos de quota de mercado deixam de ser óbvios. Por isso, fica o gráfico acima para ilustrar os resultados deste mês. É neste gráfico que as tendências mais interessantes se revelam. Em primeiro lugar, a quota dos veículos …

Advertisements
Back to Top