Pela primeira vez as vacinas mostram o efeito, e foram dadas mais vacinas que o necessário para atingir o objectivo.

Spread the love
  • 9
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 25
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love9    25    Enquanto os efeitos do confinamento são agora evidentes. Se considerarmos o máximo atingido a 26 de Janeiro de 16 432 novos casos e as 303 mortes registadas a 28 de Janeiro, os ZERO mortos atingidos ontem e os 196 infectados, são milagrosos. No entanto, este “milagre” veio com um custo associado. Ao contrário do que alguns esperariam, estes valores não são resultado da campanha de vacinação. Não que a campanha de vacinação não esteja a correr bem, porque está. Mas porque o comportamento dos portugueses, só por si, está a manter o vírus sob controle. E o resultado são as 196 novas infecções detectadas hoje. Com este nível de infecções não é de todo expectável a ocorrência de fatalidades. De facto, com zero fatalidades, e com baixo número de infecções, torna-se impossível sequer aferir a eficácia das vacinas, até que terminem as medidas extraordinárias que ainda estão em vigor: distanciamento social, uso obrigatório de máscaras, restrições ao movimento, etc. Ainda assim, há indicadores que começam agora a ser conclusivos sobre a eficácia da vacinação. Qual seria a comportamento dos casos, por faixa etária, caso as vacinas estivessem a ter efeito? Considerando que as vacinas estão a ser dadas …

O contraditório de como abordar a Covid-19: a Suécia

Spread the love
  • 38
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love38    5     Este artigo deve começar pela banda sonora, neste caso, Zeca Afonso …. A alegoria da formiga no carreiro parece ser perfeita para descrever o caso sueco e como ele é importante para todo o mundo. Há 3 forma possíveis de abordar a Covid-19: Confinamento e contenção até à chegada da vacina. A abordagem seguida pela maior parte dos países Europeus e Asiáticos mais ou menos desenvolvidos. Contenção ligeira com vista à obtenção de imunidade de grupo seguida pela Suécia. Política zigzaguiante e contraditória dos países liderados por governos populistas ou apenas incompetentes, de países como os Estados Unidos ou o Brasil. Na realidade, temos apenas duas abordagens distintas, já que não ter uma abordagem não pode ser uma abordagem 🙃. Vamos então olhar para a abordagem da Suécia de contenção ligeira: Escolas e universidades abertas Lojas e comércio mantiveram-se abertos Lares e outros centros com pessoas vulneráveis foram isolados da população geral. É neste ponto onde a Suécia manteve um nível elevado de contenção Não são obrigatórias máscaras em lugares públicos nem fechados Esta abordagem, segundo a teoria do Dr. Anders Tegnell, o arquitecto da estratégia sueca, seria mais eficaz manter a sociedade e a economia a funcionar …