Vendas de veículos eléctricos de Março – Tesla e Peugeot ainda no topo

Spread the love
  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love3         O mês de Março trouxe um vislumbre do regresso à normalidade. No total foram vendidos 15600 veículos o que corresponde ao primeiro mês onde as vendas de 2021 excederam as de 2020. E esse deve ser o único indicador que sugira alguma normalidade, já que os restantes saíram completamente fora do padrão dos últimos anos. Se as vendas de Janeiro e Fevereiro tinham ficado abaixo dos mesmos meses de 2020, as de Março já mostram alguma recuperação, quer sectorial, quer global. De facto foram vendidos mais 28% de veículos face ao mesmo mês de 2020, mas esse crescimento foi de todo desigual. Os plugins viram as duas vendas mais que duplicar face ao mesmo mês, especialmente devido à muito baixa oferta desses veículos no mesmo período, o que compensou a descida das vendas dos puramente eléctricos, também em 28%. No entanto, no compro global, a venda de veículos electrificados registou uma subida de 30%. O dado mais curioso é o comportamento dos motores a combustão interna, onde as vendas dos veículos a gasolina registou uma subida de mais de 40% enquanto que as vendas dos diesel subiu 7%. Olhando apenas para as quotas de mercado, o mês de …

Vendas de veículos eléctricos de Fevereiro – Tesla e Peugeot dominam

Spread the love
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love4    1    Num mês onde os desvios típicos do ano novo já não se fazem sentir, Fevereiro parece ter chegado para demonstrar a normalidade. Depois de um Janeiro onde foram atingidos novos recordes, máximos e mínimos, em Fevereiro todos os vários recordes recuaram. Mais concretamente, e logo à cabeça, as motorizações a gasolina. Depois de um dos piores meses que há registo, os veículos movidos a gasolina recuperaram alguma da quota de mercado. Ainda assim, ficaram 3.5% abaixo da média de 2020. No mesmo sentido evoluíram as vendas dos veículos movidos a gasóleo, mas em menor escala. No entanto, uma subida de 0.3% foi manifestamente insuficiente para atingir os 43% de 2020, tendo ficado pelos 41.54%. Este pode ser um valor elevado de quota de mercado, mas para as motorizações a gasóleo, é a terceira mais baixa do século XXI. Somando as vendas das motorizações a combustíveis fósseis, obtêm-se o valor de 76.38%, o 3º valor mensal mais baixo desde que existem registos, e 5% abaixo do valor global de 2020. No outro grupo de motorizações, as híbridas, verificou-se um recuo a toda a linha. Se no mês passado se pode assumir que a migração da gasolina para os híbridos …

E chegaram os primeiros dados de 2021: A migração de gasolina para os híbridos parece ir a toda a velocidade.

Spread the love
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love4    1    O ano começou em confinamento. Isto faz com que seja impossível fazer uma comparação fiável com o mês de Janeiro do ano passado. De facto, se compararmos o mês de Janeiro de 2020 com o Janeiro de 2021, verificamos uma redução de vendas de 23.9%. Como vem sido habitual, esta redução não se faz de igual modo em todo o mercado. As motorizações a combustão interna continuam a evoluir de forma diferente. As motorizações a gasolina continham a ver as suas vendas a serem substituídas por versões híbridas. Concretamente, a cota de mercado de Janeiro das motorizações a gasolina, correspondeu ao 4º valor mais baixo desde que existem registos. Por oposição, as motorizações Híbridas a gasolina, atingiram os 11.6% de mercado, o valor mais alto alguma vez registado. Já no caso das motorizações a gasóleo, a imagem é enganadora. Os 41.2% atingidos em Janeiro poderiam sugerir que não está a sofrer impacto significativo. Na verdade, esta é a segunda cota de mercado mais baixa destas motorizações, pelo menos desde 2010. As vendas desta motorização têm sido muito mais estáveis qualquer outra, o que fez com que mesmo em Março de 2020, as vendas desta motorização tivessem sofrido a …

Vendas veículos eléctricos de Dezembro e as Contas finais de 2020 – Estagnação das vendas dos eléctricos e um record da electrificação

Spread the love
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love1    1    Chegando ao fim de um ano tão atípico como o de 2020, é altura fazer as contas ao conjunto do ano. E se foi um ano diferente de todos os outros, em particular na paragem das vendas nos meses de Março e Abril. Mas vamos aos números. O ano começou com vendas fortes até Fevereiro, de tal foram que correspondeu ao mês com maiores vendas em todo o ano. Até que explodiu a Covid-19, o que fez com que as vendas de Abril tenham correspondido a menos de ⅕ das registadas em Fevereiro. Depois do período inicial de confinamento, as vendas só recuperam parcialmente em Julho, altura em que as vendas ultrapassaram as de Janeiro. Nas contas finais do ano, Fevereiro foi indiscutivelmente o mês com maiores vendas, seguido de Julho, com os restantes meses do ano registrado vendas ligeiramente abaixo das de Janeiro. No entanto, esta quebra de vendas global não se fez sentir em todo o mercado da mesma forma. E mesmo ao longo do ano, face aos lançamentos de novos modelos, a realidade foi-se alterado. Olhando para o detalhe da evolução no ano, torna-se evidente os diversos efeitos que a pandemia teve nas diversas tipologias …

Vendas de veículos de Novembro: um em cada seis carros vendidos são eléctricos ou plug-in.

Spread the love
  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love3    1     Mais um mês de angustia sobre a Covid-19, mas para muitos portugueses, mesmo aqueles que estão em tele trabalho, o carro ainda é uma necessidade. Ir às compras, levar as crianças à escola, para a maior parte destes percursos, o carro é uma necessidade. E de facto, numa altura em que tipicamente a venda de carros desce, apenas foram vendidos menos 1500 carros que em Janeiro passado. Os 14627 veículos vendidos em Novembro colocam este mês no 3º mês com maiores vendas desde o fatídico mês de Março. As vendas do mês de Novembro refletem uma ligeira descida face ao mês anterior, o que é um efeito normal do mercado português, onde as vendas de veículos novos sofrem um abrandamento no final de cada ano. Este efeito tem várias causas: Efeito psicológico do novo ano de matricula Pausa para entrada em vigor de novas medidas ficais Adiamento das entregas por parte das marcas, de veículos menos poluentes, de forma a serem registados no contingente do ano seguinte. De qualquer forma, esta redução não se verificou de igual forma em todas as motorizações. Verificou-se de forma ligeira nos motores a diesel, e de uma forma muito acentuada nos …

Outubro: mais dois máximos: total de veículos eléctricos e plug-in

Spread the love
  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love3    1     Mais um mês volvido sob o manto da COVID-19, mas como o primeiro ministro diz agora, “o país não pode parar outra vez”, e o mercado automóvel de facto não parou. Outubro foi terceiro melhor mês do ano, logo depois de Fevereiro e Julho, com 16156 veículos ligeiros de passageiros entregues. Logo aqui, saltam à vista algumas novidades: nunca foram vendidos tantos veículos plug-in, quer na sua totalidade, quer em cada uma das suas versões. Foram vendidos 1433 veículos plug-in, correspondendo a 1215 unidades plug-in com motor a gasolina e 218 plug-in com motor a gasóleo, todos da Mercedes. Se somarmos as vendas dos PHEVs aos 618 EVs, um valor que fica na média do ano, obtemos 2051 veículos que conseguem ser alimentados por electricidade. Considerando que o mês foi no geral positivo, será que as vendas record dos veículos electivos corresponderam à continuação do movimento de electrificação do mercado ? De facto assim aconteceu. A quota de mercado dos veículos plug-in atingiu o valor record de 8.87%, que somando aos 3.83% dos EVs obtêm-se uma quota global de 12.69%, um valor apenas superado pelo atingido no estranho mês de Abril. O mês de outubro trouxe no …

Vendas de veículos eléctricos atingem os valor mais alto de sempre: 1943 unidades no mês em que o VW ID.3 começou a ser entregue.

Spread the love
  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love5    1    O mês de Setembro trouxe mais novidades no mercado automóvel num mês em que as vendas atingiram valores mais próximos da normalidade, num total global de 15702 veículos ligeiros de passageiros. A primeira novidade é que foi batido o recorde absoluto de vendas de veículos plug-ing e eléctricos num total de 1943 unidades. Curiosamente, todas as motorizações excepto a gasolina aumentaram as vendas. Se as vendas dos veículos eléctricos e plugin atingiu valores record, não foi o suficiente para bater o record de quota de mercado, resultado dos meses atípicos de Março e Abril. De qualquer forma, em ambos os casos, foram atingidos os 12% de quota de mercado. Em sentido oposto encontram-se as motorizações a gasolina e os híbridos. No caso da gasolina, trata-se uma redução por enquanto pontual. Mas já no casos dos híbridos, trata-se da continuação de uma tendência já iniciada em Agosto. A subida das vendas dos veículos com motorização eléctrica foi visível em todas as vertentes: totalmente eléctrico e em ambas as versões plug-in, gasóleo e gasolina. Destes, em ambas as vertentes plug-in registram recordes absolutos e vendas, e mesmo os veículos totalmente eléctricos registram o melhor resultado desde Março. E daqui vem …

Vendas de automóveis em Agosto: os híbridos estão em extinção

Spread the love
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love2    1    Bem mais rápido que em Julho, os números das vendas de Agosto já chegaram, e os resultados são novamente interessantes. Em primeiro lugar assistiu-se a uma redução das entregas de veículos a clientes, como é hábito da época. No entanto, a quota de mercado dos vários tipos de motricidade não sofreu uma alteração significativa, pelo menos até se analisar com um microscópio. De facto, as vendas de veículos motorizados a gasóleo e gasolina mantêm a mesma proporção do mês passado, respectivamente de 43% e 42%, e as vendas de veículos eléctricos e plug-in subiu ligeiramente para os 9.4%, face aos 8.6% do mês passado. O tipo de motorização que vai a quota de mercado descer, foi a dos híbridos simples, que atingiu o valor mais baixo desde o início do ano, de 5.81%, segundo uma tendência que se vem repetido mês após mês. Há várias possíveis razões para este movimento: Idade da oferta actual – grande parte dos modelos híbridos correspondem a modelos há já vários anos no mercado, correspondendo maioritariamente aos modelos da Toyota, que controla mais de metade do mercado Nova oferta limitada – Apenas a Ford e a Renault estão agora a oferecer novas motorizações …

Mercado automóvel recupera para valores de Fevereiro de 2020 . Plug-ins no valor mais alto de sempre.

Spread the love
  • 11
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love11    2    É curioso que semana em que o Banco de Portugal previu que a economia portuguesa voltou a afundar em junho, o número de veículos ligeiros vendidos tenha atingido o valor mais alto desde antes da pandemia. De qualquer forma, é inegável que a paragem das vendas de veículos ligeiros em Portugal parece ter parado, e os números podem agora corresponder a valores “normais”. Depois de meses dominados pela entrega dos veículos com tempos de espera muito alargados, onde os totalmente eléctricos atingiram valores record, é agora tempo ver como se irá o mercado comportar em tempos mais “normais”. Em primeiro lugar, os veículos a combustíveis fósseis continuam a lutar pelo primeiro lugar, tendo o de Julho sido liderado pelos veículos movidos a gasóleo, mas não por grande vantagem. A grande novidade veio no entanto do record absoluto de vendas dos carros plug-in (PHEV – Plug-in Hybrid Electrical Veicule) \. Estes veículos são aqueles que já têm uma bateria que lhes permite percorrer 50km apenas com o motor eléctrico, e em paralelo, um motor a combustível fóssil para as a viagens mais longas. Para a União Europeia, estes veículos são a primeira peça fundamental para a descarbonizarão dos transportes …

Pós Confinamento – Vendas dos carros que se ligam à tomada representam 10% do mercado no primeiro semestre

Spread the love
  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

Spread the love3    2    A Covid-19 trouxe mais alterações no dia-a-dia que apenas as máscaras. As pessoas estão mais em casa,  vendas on-line dos hipermercados dispararam, e os carros a gasolina perderam o ritmo do ano passado, segundos os dados de Junho, fornecidos pela ACAP. Desde de que o diesel-gate fez com que a UE passasse a olhar para o gasóleo como o menino mal comportado da sala, e por consequência, promovesse a subida dos impostos sobre os carros que usam este combustível. Esta subida fez com que no ano passado a venda de carros a diesel tivesse caído abaixo em 2019. Veio 2020, e as coisas estão a mudar. Os carros a gasolina sofreram uma descida de 8% na quota de mercado, e os diesels recuperaram cerca de 4%. A novidade, é que a soma dos dois motores de combustão interna representa agora 86%, valor que compara com os 90% do ano passado. O que deixa a questão: para onde foram os restantes 14% do mercado? A resposta é fácil: híbridos e eléctricos. As vendas dos híbridos estão muito acima dos valores registados em 2019, tendo registado no mês de Junho os valores mais elevados de sempre, mas mesmo assim limitados …