Mercado automóvel de Julho – Motorizações a combustível atingem o valor mais baixo de sempre

Spread the love
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O mês de Julho de 2021 não foi particularmente movimentado no que diz respeito a vendas de veículos automóveis, tendo sido o pior mês desde Fevereiro deste ano. No entanto, como vem sendo habitual nos últimos 2 anos, a redução de vendas não se verifica de forma igual em todas as motorizações, mas numa em particular.

Quota de mercado por tipo de motorização. Fonte: ACAP

As vendas dos veículos a gasóleo tiveram uma muito ligeira subida de quota de mercado. Mesmo essa ligeira subida demonstra como a continua tendência de queda está para ficar. A reforçar esta ideia, está o facto de que dessas parcas vendas, mais de 40% desses veículos foram comerciais. De facto, em Julho, apenas se venderam poucos mais de 2300 veículos ligeiros de passageiros a gasóleo.

Na mesma escala, mas em sentido oposto encontramos as motorizações a gasolina, que sofreu também uma muito ligeira descida. No entanto, o ponto relevante é o comportamento da totalidade das motorizações a combustão interna. Somando as quotas de mercado dos motores a gasolina e gasóleo, atinge-se o valor de 70.8%, o segundo pior resultado desde que há registos.

Podia-se até assumir que esta redução dos veículos movidos apenas a combustíveis fósseis correspondesse apenas a uma ligeira mudança, para os motores híbridos. As vendas dos veículos híbridos sofreram de facto uma ligeira subida, tendo atingido os 12%. Ainda assim, somando as vendas dos veículos exclusivamente a combustão com as dos híbridos, atinge-se os 83%, correspondendo também ao segundo valor mais baixo desde que há registos.

Do lado dos veículos electrificados, verificaram-se dois movimentos muito distintos. As motorizações plugin diesel estão prestes a desaparecer, correspondendo agora a apenas 0.9% das vendas. No entanto, nas motorizações plugin gasolina e totalmente eléctricos, o movimento foi distinto.

Os veículos plugin gasolina atingiram os 9.46% de quota de mercado, correspondendo ao valor mais alto de sempre. Se juntarmos este valor aos 6.37% correspondentes aos veículos totalmente eléctricos (e plugin gasóleo) atinge-se os 16.7%, um valor apenas excedido em Dezembro de 2020. Se contarmos a totalidade do ano de 2021 até ao momento, já totalizam 13.5% relativamente a todos os veículos vendidos até ao momento. É ainda preciso notar, que o mês de Julho foi mais um dos meses onde a Tesla não fez entregas.

Advertisements

Vendas de veículos eléctricos por Marca

O mês de Julho foi mais um daqueles onde a Tesla não entregou uma única unidade, o que fez com que a tabela das vendas tenha ficado incaracterística.

Mas ter a BMW no topo não seria algo que seria expectável. A BMW iniciou no mês de Julho as entregas dos novos modelos eléctricos: iX, i4 e iX3, e os resultados estão à vista. Logo a segui encontramos a Peugeot, que mês após mês tem mostrado resultados excepcionalmente consistentes. Em terceiro lugar temos a Hyundai, actualmente apenas com os modelos Ioniq e Kawai (Kona no resto do mundo), que em Setembro inicia as entregas do novo modelo topo de gama eléctrico, Ioniq 5.

Nas posições seguintes encontramos a Nissan, e a grande novidade: a Dacia. A Dácia entra directamente para o 5º lugar, imediatamente à frente da Renault, resultado do sucesso das vendas do modelo eléctrico low cost Spring, que está disponível a partir dos 16.800€.

Em sentido contrário, notamos a redução das vendas dos Volkswagen, que nem se encontra nos 10 primeiros, após meses onde sempre esteve junto do topo.

Vendas de veículos eléctricos por marca em Julho. Fonte:ACAP

Devido à falta de comparência da Tesla, a Nissan recuperou a topo das vendas do ano, tendo sido relegada para segundo lugar. A Peugeot fecha um pódio onde todos os fabricantes já entregaram mais de 600 unidades este ano.

Vendas de veículos eléctricos por marca em 2021. Fonte:ACAP
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Leave a Reply

Back to Top